Métodos diagnósticos

Posted by | 12/17/2013 | Conhecimentos | No Comments

O diagnóstico precoce é primordial especialmente nas neoplasias , pois as melhores taxas de cura são atingidas antes da disseminação (metástases) ou da invasão tecidual adjacente.

Atualmente, vários  exames são empregados para estabelecer o correto diagnóstico e um preciso estadiamento.  É importante ressaltar  que o diagnóstico é resultado de uma análise conjunta, com as várias informações se complementando.

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

Exames radiológicos
– muito utilizado no estadiamento dos tumores, principalmente  na pesquisa de metástases intra-torácicas (pulmões, pleura, mediastino, etc).
– exame imprescindível nas suspeitas de tumores ósseos.

Exames ultra-sonográficos
– empregados para identificar principalmente massas intra-abdominais primárias ou metástases.
– por meio do ecocardiograma muitas vezes é possível identificar massas na base do coração.

Tomografia computadorizada (TC)
– o equipamento utiliza os princípios da radiologia convencional, emitindo uma série de feixes de Raio X em forma de leque e ao redor do paciente,  enquanto são realizadas pequenas “fatias” radiográficas das áreas específicas.
– empregado para localizar massas mais difíceis de serem definidas pelos RX/US e para melhor definir  os limites da lesão.
– exame realizado sob anestesia geral e, em algumas vezes, utiliza-se contraste.

Ressonância Magnética (RM)
– o equipamento produz um campo eletromagnético muito intenso ao redor do organismo para alinhar todos os átomos, em seguida há a emissão de ondas eletromagnéticas em determinada frequência que irão promover um aumento do vibração dos átomos (ressonância), que será captada e transformada em imagem.
– exame também realizado sob anestesia geral e tem emprego semelhante ao da TC.

 

BIÓPSIAS

Exame citopatológico

– Consiste na análise das alterações celulares vistas isoladamente, não se levando em consideração a arquitetura tecidual.  São exames rápidos,  fáceis de coletar,  praticamente indolores e importantes na diferenciação entre processos inflamatórios e neoplásicos.

Exame histopatológico

– Sem dúvida é o exame mais preciso no diagnóstico dos tumores, é capaz de  nos informar se realmente estamos diante de uma neoplasia e se há sinais de malignidade ou não.  A descrição da lâmina dá ao oncologista informações muito importantes como índice mitótico, presença de êmbolos metastáticos, contaminação das margens, etc.
As amostras poderão ser coletadas por meio de pequenos procedimentos  ambulatoriais, sob anestesia local ou geral ultra-curta ou, então, de fragmentos provenientes das intervenções cirúrgicas.
Em algumas situações informações complementares das características do tumor ou mesmo quando as suas células forem tão indiferenciadas que não é possível estabelecer uma relação com a célula de origem , técnicas especiais poderão ser  utilizadas, por exemplo a citoquímica e a imunoistoquímica.